terça-feira, 21 de outubro de 2014

Imagine ChaMel 4ª Temporada (Filhos) - Capítulo 137: Victor e Felipe aprontam com Yasmin



O carro de Mel para em frente a um bistrô e ela desce, entregando a chave para o manobrista do local. Caminhando apressadamente, pois notou de cara a presença de um fotógrafo do outro lado da rua, entra no local onde marcou de lanchar com Sophia. A loira está aguardando por ela em uma mesa no fundo, usando um óculos marrom para esconder os olhos cansados.
   — Cheguei! — diz Mel sentando de frente para Sophia.
   — Faz pouco tempo que eu cheguei também. 
   — Parece que hoje é dia dos fotógrafos ficarem no meu pé.
   — Por quê?
   — No shopping eu fui abordada por um, agora quando eu chego aqui vejo que tem um do outro lado da rua. 
   — É o preço do sucesso — diz Sophia dando um leve sorriso. 
   — O que estava no shopping foi tão desagradável, você não tem noção. 
   — O que ele fez?
   — Me perguntou sobre o boato da separação. — Ela suspira. — Está sendo tão difícil esse processo, se a mídia ficar sabendo então só vai piorar as coisas. 
   — Eu entendo. 
   — Como se não bastasse, o Chay me convidou para um jantar de negócios. 
   — Como é? — pergunta Sophia franzindo a testa. 
   — É isso mesmo, ele me chamou porque acha que a minha presença pode influenciar a decisão do empresário lá. A última coisa que eu queria agora era fazer uma cena de casal perfeito.
   — É simples, não vá.
   — Eu não posso fazer isso, é importante para o Chay. 
Sophia assente.
   — Entendi, mas você tem que pensar o que é importante pra você
Elas fazem o pedido e Mel pergunta:
   — Então, como foi a volta para o trabalho?
   — Maravilhosa! O pessoal lá do escritório foram uns fofos comigo. — Ela sorri ao dizer: — Eu vi os preparativos para a campanha da Yasmin. Eu sei que eu deveria manter o meu lado mãe afastado disso, mas a minha princesinha vai ficar tão linda com as roupas da nossa coleção.
Mel ri.
   — Sei bem como é difícil manter o lado mãe longe, vi isso quando a Isabela desfilou para a marca. 
   — Bem que na próxima coleção ela poderia ser o rosto da campanha, né?
   — Você está brincando, né? — pergunta Mel rindo. — A Isa não gosta disso, não. Convencer ela a participar daquela vez foi uma coisa de louco. 
   — A Yasmin diz que não gosta, mas é só ver uma câmera apontada pra ela que já ficou toda animada. — Elas riem. 

As horas passam. Por volta das duas e meia da tarde Victor vai até a casa de Sophia e Micael para jogar videogame. Eles chamaram Vinícius, porém o jovem já tinha um compromisso marcado: estudar com Marina para a prova de português do dia seguinte.
No quarto de Felipe, ele e Victor jogam e zoam um com o outro. Em um determinado momento, o loiro pergunta:
    Será que a Yasmin ainda está dormindo?
    Sei lá, vai lá ver!
    Sabe o que a gente podia fazer?  pergunta Victor com um sorriso travesso nos lábios.  Zoar com a cara dela.
    Qual é a sua ideia?  indaga Felipe com interesse. 

Deitadas no tapete do quarto de Graziele, Malu e a ruiva conversam. Uma mensagem chega no whatsapp da morena e ela fica encarando o aparelho por um período a mais do que o necessário. Graziele franze a testa.
    O que foi, Maria Luíza?  pergunta se esticando para enxergar a tela. A palavra "Oi" está escrita em uma conversa com Samuel.  Você não vai responder?
    A gente não se falou desde a festa da Maísa.
    Parece que ele quer mudar isso... Você quer?
    Eu não sei. Na verdade, eu quero, só que antes de dar um passo nessa direção preciso conversar com a Mayara.
    Ela também não conversou com você?
    Não, nenhuma palavra. 
    Ok, agora responde o garoto, tadinho.
Malu suspira e digita "Oi".

Com a luz apagada, ar condicionado ligado e cortinas fechadas, Yasmin tira um cochilo depois do almoço. A porta do seu quarto se abre lentamente e Victor e Felipe entram caminhando na ponta dos pés. Uma latinha de spray de chantilly está nas mãos do loiro, que anda até a cama dela. Ele coloca um pingo de chantilly na testa dela, se controlando para não rir. Em seguida passa um pouco nos braços dela.
    Se eu fosse você olharia para o lado  sussurra Victor para Felipe, que franze a testa em uma pergunta silenciosa.  Só se você quiser ver uma cena romântica  avisa o loiro. O irmão de Yasmin revira os olhos, sorrindo, e olha para o lado, passando a encarar a porta do closet dela.
   Victor coloca um pouco de chantilly nos lábios de Yasmin e se inclina na direção do rosto dela, dando um beijo carinhoso na boca corada da loira. Ela desperta, retribuindo o beijo, e se move na cama. Ao sentir algo em seus braços, franze a testa e morde sem querer a língua de Victor. 
    Ai  ele reclama se afastando dela. Yasmin, entorpecida pela sono, olha para os braços. Sua expressão de confusão muda rapidamente para fúria.
    Quer merda é essa? 
Felipe volta a olhar para eles e ri. Victor responde:
    Foi só um jeito novo de te acordar.
    Que nojo, mano  ela reclama olhando para os lençóis que acabou sujando ao se mexer.  Não acredito que você fez isso, Victor. 
    Eu não fiz sozinho  ele diz e olha para trás. Yasmin nota a presença do irmão.
    Filha da p*ta  ela xinga colocando os pés para fora da cama.  Você ainda ajuda né?
    Eu só fiz pegar o chantilly  se defende Felipe.
    Deixa estar, vocês dois vão me pagar. 
Ela levanta e Victor a abraça, sujando sua roupa. 
    Ficou brava, foi?  ele pergunta sorrindo. 
    Eu estou p*ta da cara com você, seu idiota.  Ela o empurra.  Some da minha frente.
    Yas  ele chama.  Foi brincadeira.
   .Brincadeira de péssimo gosto. Me solta, deixa eu me limpar.
    Se você quiser eu limpo pra você... com a língua.
    Vai se f*der.  Yasmin se solta dos braços de Victor e caminha para o seu banheiro. Victor olha para Felipe.
    Ela ficou realmente brava  constata.
    Eu vou deixar vocês sozinhos, quando ela sair, você dá uns beijos nela, que ela esquece.
    Caso você não tenha percebido, eu beijei ela. 
    Ah, Victor, isso é o máximo que você pode fazer? Pelo amor, né! Se fosse a Isa já tava no papo.
    Também, a sua namorada é influenciável.
    Olha como fala dela  diz Felipe com seriedade. 
    Ei, calma, eu só estou brincando.
    Acho bom .diz Felipe e sai do quarto. Victor balança a cabeça, pensando alto:
   — Esses irmão são muito esquentadinhos. 

Isabela está escondida atrás do sofá apurando qualquer barulho que indique a chegada de sua cachorrinha Nina. Quando ela ouve o arfar da cadelinha se aproximando, rodeia o móvel engatinhando e para em frente a mesinha de centro. Ao notar que Nina foi para trás do sofá, sai correndo em direção a cozinha. Ela ouve as pegadas da cadela atrás de si e apressa o passo, contornando o balcão e indo para o quintal. A adolescente corre ao lado da piscina e para na outra extremidade a tempo de ver Nina chegando no quintal. 
   — Nina, vem me pegar, sua danadinha — grita e a cachorrinha corre pela lateral da piscina até ela, mas a morena rodeia a piscina, parando na outra extremidade. — Vem cá, vem! — chama. A cadelinha começa a correr e Isabela fica contornando a piscina para que ela não a alcance. Quando começa a ficar cansada, decide correr até a grama e se joga sob a sombra de uma pequena árvore. Nina corre até ela e pula em seu braços.
   — Consegui te enganar direitinho, né sua pestinha? — fala balançando Nina em seus braços. — A mamãe me fez de boba — diz com a voz infantil como se fosse Nina falando. — Mamãe, é má! 
Ela joga a cabeça para trás e ri, apertando Nina em seus braços. 
   — Te amo, minha pretinha — se declara dando beijos na cabeça da cadelinha, que lambe a sua bochecha. 

Após tirar o chantilly que estava em seus braços e sua testa, lavar o rosto e escovar os dentes, Yasmin deixa o banheiro e encontra Victor sentado em sua cama sem camisa.
   — O que você ainda está fazendo aqui? Ainda mais sem camisa? — pergunta sentando em uma poltrona ao lado da porta que dá acesso a sacada. 
   — Quero falar com você, né? 
Yasmin coça um olho.
   — Precisa ser sem camisa?
   — Por quê? Eu te desconcentro? 
   — Não — ela mente com facilidade. 
   — Nossa, fiquei até ofendido — ele dramatiza colocando uma mão sobre o peito. — Eu pensei que fosse ouvir pelo menos um comentário sobre o meu corpo sexy já que eu malho especialmente para você.
Pela primeira vez durante essa conversa na tarde, Yasmin gargalha. 
    Você malha especialmente para mim?
   — É claro, para a minha... amiga favorita. 
   — Hum, sei — ela diz ainda rindo. — Você está gatinho. 
   — Você me namoraria? — ele provoca tentando segurar um riso.
   — Você sabe a resposta — responde a loira olhando profundamente para ele.
   — Quero ouvir da sua boca — diz Victor ficando sério.
   — Sim. 
Victor sorri e eles ficam alguns segundos se encarando de maneira carinhosa e profundamente íntima. Yasmin é a primeira a desviar o olhar, fingindo limpar o short. Victor diz:
   — A verdade é que eu tirei a camisa porque ela tava suja de chantilly.
   — Otário. 
Victor ri e dá batidinhas no espaço ao seu lado na cama.
   — Senta aqui — pede. 
   — Não — responde Yasmin. — Estou confortável aqui. 
O loiro levanta e Yasmin nota o quanto ele é alto e incrivelmente bonito. Enquanto ele caminha até ela, a loirinha admira seu corpo escultural e quando ele se agacha em sua frente, percebe que está sem respirar e puxa o ar profundamente. 
   — Se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai até Maomé — ele diz colocando as mãos nos joelhos dela.
   — Olha, está manjando dos ditados. 
   — Eu não sei o que é manjar. 
Yasmin joga a cabeça para trás e ri.
   — Deixa quieto. 
Ele senta no colo dela, dizendo:
   — Eu deveria andar com um dicionário sempre por perto. 
   — Ai, Victor, você pesa — ela reclama. — Sai!
   — A gente pode melhorar isso. — Com rapidez, ele levanta e puxa Yasmin consigo. Mais rápido ainda, senta na poltrona e a traz para o seu colo. — Que tal?
   — A única coisa que eu sei é que se os meus pais entram aqui... eu não queria estar na sua pele. 
   — Eu também não queria estar na minha pele. É complicado estar tão a fim de uma garota como eu estou. 
Yasmin dá um leve sorriso.
   — É?
   — Sim — ele responde colocando as mãos na cintura dela. — Eu não queria gostar tanto dela assim, mas é que... damn, ela parece que foi feita para mim. 
Um arrepio levanta todos os pelos do corpo de Yasmin e ela torce para que Victor não repare. Após um instante de silêncio, ela diz:
   — Just friends. 
Victor assente.
   — Ok.
   — With benefits.
Ele sorri e colocando uma mão na nuca dela, a beija. 

No final da tarde, Marina e Vinícius comemoram o desempenho dela nos estudos.
   — Parabéns, você acertou quase todos os exercícios que a gente fez — ele elogia. — Isso é difícil para muitos brasileiros lá da sala.
Os dois riem e Marina coloca as mãos nos ombros dele.
   — Esqueceu que eu também sou brasileira?
   — É verdade, é que com esse seu sotaque de gringa fica difícil lembrar. — Ele dá um selinho nela. — Sabia que eu já imaginei como seria você falando completamente português, sem sotaque nenhum. 
Ela engole a expressão "Really?" e diz:
   — É mesmo?
   — Sim, mas ficou estranho, tipo, não parecia você.
   — É porque o sotaque faz parte do meu charme.
   — Tenho que concordar com você.
Eles sorriem e se beijam.  
   — Agora eu tenho que ir — diz Marina caminhando até a porta do quarto de mãos dadas com ele. 
   — Tudo bem. Eu aguento passar algumas horas longe de você.
Marina gargalha enquanto caminha até a escada.
   — Desde quando você é tão dramatico assim?
   — É dramático — ele corrige. 
   — Dramático — repete a garota. — Então, desde quando?
   — Desde que me apaixonei por uma gringa aí. 
Marina sorri.
   — Desse jeito não vou querer ir embora.
   — Essa é a intenção.
Eles param em frente a porta da mansão. 
   — É amanhã — ela fala sorrindo ao se lembrar do plano contra Jonas. 
   — Eu aposto que você vai se sair bem. 
   — Na prova? É claro. 
   — Do que você estava falando? 
   — Da prova, of course — ela responde tão rapidamente que deixa escapar as palavras em inglês. — É claro — diz em seguida.
   — Amor, não tem problema de você falar inglês.
   — Eu sei, mas é que eu estou me obrigando a falar sempre em português para ir me acostumando. 
   — Entendi — ele diz sorrindo. — Te vejo amanhã?
   — É claro — ela repete e eles riem. — Tchau — diz dando um beijo nele.
   — Tchau!
Marina abre a porta e sai. 

O resto da segunda-feira praticamente voa e o dia seguinte surge prometendo muitos agitos. Yasmin se arruma para o colégio com um sorriso enorme no rosto, assim como Felipe. Ao se encontrarem no corredor do primeiro andar, as primeiras palavras que trocam são:
   — É hoje — diz a loira.
   — Finalmente chegou — sorri Felipe. Eles caminham até a escada.
   — Não vejo a hora da bomba explodir. 
   — Não vejo a hora do Jonas se ferrar. 
   — Esse é o meu primeiro plano do ano! — percebe Yasmin.
   — Parabéns, maninha. — Felipe passa um braço em torno dos ombros dela.
   — Nem vem, eu ainda não esqueci de ontem.
   — A ideia foi do Victor e a execução também.
Eles chegam a sala de jantar, onde encontra Sophia e Micael já tomando café da manhã.
   — Mas você participou e vai ter volta. 
   — Do que vocês estão falando? — pergunta Sophia.
   — Desse bonitinho aqui que ajudou o Victor e me encher de chantilly ontem — conta Yasmin pegando uma torrada. 
   — A gente tava jogando a tarde e ele teve a ideia de acordar a Yasmin de um jeito especial — explica Felipe rindo.
   — Eu já avisei que vai ter volta — fala a loirinha. 

Em torno das sete horas da manhã, Jonas e Samuel se encontram na sala. O último está incrivelmente feliz, o que desperta a curiosidade do ex de Isabela.
   — Posso saber o motivo desse sorrisinho? — pergunta Jonas.
   — Nada — responde Samuel.  Só estou feliz.
   — Sei — diz Jonas com desconfiança. — Essa felicidade tem nome?
   — Tem, mas eu não vou te contar.
   — Como não?
   — Não quero — Samuel responde dando de ombros. — Você não entenderia a minha alegria.
   — Não é a Maria Luíza, é? 
   — Óbvio que não — mente Samuel. — Essa garota é passado.
   — Assim que se fala! Nós temos que pensar no futuro. Eu, no futuro próximo principalmente. 
   — Como assim?
   — Esqueceu que hoje eu vou jantar com a Anabela? — pergunta Jonas abaixando o tom da voz.
   — Jonas, Jonas, essa garota vai te meter em maus lençóis. 
   — Opa, tudo o que eu quero é me meter em lençóis com ela.
   — Deixa o pai dela ouvir isso.
   — Ele não ouvir, não vai ver... não vai ficar sabendo — fala Jonas sorrindo. No fundo da sala, ao lado deles, Yasmin ouve o final da conversa ao colocar sua mochila em sua carteira. 
   — Vai sonhando — fala para si mesma. 

domingo, 19 de outubro de 2014

Imagine Chamel 4° Temporada (Filhos) - Capítulo 136: Yasmin é eleita líder de sala



Após guardar o celular de Jonas no mesmo lugar que encontrou, Yasmin deixa a sala dando pulos de alegria. Chega no ginásio a tempo de ver a confusão que está acontecendo.
   Na quadra, os alunos discutem, cada time de um lado da rede. Com a testa franzida, Yasmin se junta a Victor e Thiago que observam a cena da arquibancada.
    O que está acontecendo, gente?
    Treta  responde Thiago.
    Ah vá! Não me diga?  Ela olha para a quadra e enxerga Samuel, Jonas, Malu e Jaqueline discutindo.
    A bola foi fora!  berra Jaqueline.
    Se você quiser eu pago uma consulta a um oftalmologista pra você, Jack  diz Malu de maneira dissimulada.
    Cala a boca, Maria Luíza!  diz Jonas do outro lado da rede, do lado de Jaqueline.
    Eu fiquei calada esse tempo todo, vendo vocês roubarem no jogo, porque mesmo assim o nosso time está ganhando, porque o time de vocês é uma bosta!  rebate Malu.
    Gente, aceita que vocês estão perdendo  fala Samuel com paciência.  Parem de chorar igual crianças.
    A gente não está chorando!  diz Jaqueline com raiva.  Só estamos tentando ser justos.
Malu gargalha, juntamente com Maísa e Alexandre, que também estão no mesmo time que ela.
    Tentando ser justos? Faça mil favor, Jaqueline! Todo mundo viu que a nossa bola foi dentro.
    Praticamente no meio da quadra  completa Samuel.
    Não exagera, Samuel  diz Jonas.
    Deixa, gente  pondera Maísa e olha diretamente para Jonas ao dizer:  Nós vamos ganhar de qualquer jeito!
    Não!  discorda Malu.  A gente já aceitou muitos roubos desse timezinho.
    Concordo com a Malu, o nosso ponto foi claro — diz Samuel.
    Claramente fora  fala Jonas.
    Eu vou enfiar essa bola no seu...
    Malu  interrompe Maísa em tom de censura.
O professor retorna ao ginásio e se aproxima da confusão sem que ninguém perceba.
    Eu não posso nem ir ao banheiro que vocês já armam barraco?  berra, fazendo Marina que está em sua frente estremecer. — O que está acontecendo?
Marina opina sobre a discussão pela primeira vez:
   — Acontece, professor...
Jaqueline a interrompe, falando alto:
   — Eles estão tentando nos roubar, porque...
   — Deixa a gringa falar! — diz Alexandre e todos riem, inclusive Marina.
   — Obrigada — ela diz olhando para ele. 
   — You're welcome — ele responde e mais uma onda de gargalha passa pela turma. 
Na arquibancada, Isabela pergunta para Laís:
   — Eles estão rindo do quê?
   — Acho que foi alguma coisa que o Alexandre falou — responde Laís. 
   — Continua, Marina — pede Ronaldo cruzando os braços.
   — O nosso time fez um ponto e eles estão falando que a bola foi fora, mas foi claramente dentro.
   — Tudo isso por causa de um ponto?
   — Não é só por causa disso — responde Malu. — Faz horas que eles estão trapaceando, uma hora fala que a gente bateu na rede, outra que pisamos na linha. Agora eles querem tirar o nosso ponto que foi claríssimo? 
Ronaldo suspira.
   — Ok, vamos fazer o seguinte, na próxima aula vocês continuam o jogo porque agora eu quero falar com vocês lá na sala. — Ela dá meia volta e caminha para fora da quadra. Malu fuzila Jonas e Jaqueline com o olhar e diz:
   — Se preparem para a semana que vem, seus otários. 
Os doze alunos em quadra caminham para fora do ginásio junto com os demais. 

Reunidos em torno da máquina de café, Bernardo e Maristela batem um papo. 
   — Hoje, depois do expediente, o pessoal vai para um barzinho, você poderia vim — ela diz.
Bernardo engole um pouco de café e responde:
   — Não vai dar, a Ane quer pegar um cinema. 
Maristela assente.
   — Entendi. — Sorrindo, ela completa: — É bom aproveitar os primeiros meses de casamento. 
   — Como assim? 
A médica dá de ombros, tomando um gole do seu café.
   — Ah, é que depois dos primeiros meses a coisa cai na mesmice, né? 
Bernardo ri.
   — Eu e Anelise já estamos morando juntos a um tempo, somos a prova de que depois de alguns meses cair na mesmice não acontece com todos. 
   — É, vocês são sortudos então. Não é porque aconteceu comigo que vai acontecer com todos, não é? — ela ri. Sua frase desperta curiosidade em Bernardo.
   — Você já foi casada?
   — Sim! Durante dois anos. Me separei faz seis meses. — Ela joga seu copinho descartável no lixo. — Por isso te dou um conselho, aproveita. Mesmo com o fato de vocês já morarem juntos quando se casaram, as coisas mudam quando o casal sobe ao altar. É um questão de tempo para acontecer.
Maristela afaga o ombro dele e caminha rumo a sua sala. Bernardo termina de tomar o seu café pensativo. 

Os alunos do terceiro ano B já estão em seus lugares e Ronaldo começa a falar:
   — A coordenação me pediu para fazer duas votações hoje com vocês. A primeira é para o líder e vice líder de sala, e a segunda é para o professor padrinho de sala. Vamos começar com o líder e vice líder. Quem se candidata?
Jonas e Laís erguem as mãos ao mesmo tempo. Isabela olha com espanto para Jonas, mas logo volta a encarar o professor. 
   — Não vai se candidatar, Isa? — pergunta Yasmin do fundo da sala. 
   — Esse ano, não — responde a morena. 
O professor comenta:
   — Verdade, Isabela, você foi líder ano passado e ano retrasado, né? Por que não vai se candidatar essa vez?
   — Esse ano eu quero me dedicar a outras coisas. Ser líder me consumia bastante — Isabela responde com um leve sorriso no rosto. 
   — Sendo assim — diz Yasmin erguendo a mão. — Eu me candidato. Fui vice ano passado, líder nesse. — Ela eleva o tom da voz. — Imagina, Laís, eu líder e você vice? 
   — Pode ser ao contrário também — responde a morena lá na frente da sala e elas riem.
   — Já pensaram na possibilidade de eu ganhar? — pergunta Jonas, fazendo Yasmin rir ainda mais.
   — A gente está falando de possibilidades reais, Jonas, dá licença. 
Antes que o adolescente possa começar uma discussão com Yasmin, Ronaldo diz:
   — Ok, pessoal, vamos começar a votação. — Ele caminha até o quadro e escreve os nomes de Yasmin, Laís e Jonas. Em seguida olha para a primeira fileira, a da porta. — Laís, você vota em quem? — pergunta sorrindo. 
   — Em mim — ela responde também rindo. 
   — Você? — pergunta sem se lembrar do nome de Maísa. 
   — Na Laís. 
O professor vai marcando os pontos, colocando um palitinho ao lado do nome da pessoa que recebeu o voto. 
   — Aline? 
   — Laís. 
   — Aluno novo? 
   — Laís — responde Iago. 
   — Aluno novo que veio de fora? — pergunta Ronaldo e a turma cai na gargalhada. 
   — Em quem será que ele vai votar? — brinca Thiago e as gargalhadas se prolongam. Sorrindo, Victor responde:
   — Yasmin.
Ronaldo coloca o primeiro palitinho ao lado do nome de Yasmin. 
   — Você vota em você mesma, né Yasmin? — pergunta o professor.
   — Of course!
   — Fala inglês agora, é? — brinca Ronaldo marcando o segundo palitinho ao lado do nome dela. 
   — Sempre falei — responde a loira no instante em que Malu brinca:
   — A Yasmin pegou rápido a língua americana, se é que vocês me entendem. 
A maioria dos alunos riem, mas Ronaldo fica sem entender. 
   — Prosseguindo — ele diz olhando para o aluno na carteira ao lado de Yasmin. — Samuel?
   — Jonas. 
   — Malu? — pergunta o professor depois de marcar o primeiro voto do ex-namorado de Isabela. 
   — Yasmin. 
   — Graziele? 
A ruiva morde a parte de dentro da bochecha, sem saber em quem votar. 
   — Hum... Yasmin. 
   — Felipe?
   — Yasmin.
   — Isabela? 
Isabela também fica balançada com relação ao seu voto. 
   — Yasmin — diz por fim. 
   — Amanda? 
   — Jonas. 
   — Talita?
   — Jonas. 
Yasmin olha de relance para Jonas e nota um sorriso superior no rosto dele. Ela revira os olhos e cutuca Victor, dizendo:
   — Eu não gosto de perder, mas perder pro Jonas é pior ainda.
   — Relaxa, é você ou a Laís que vai ganhar — ele a tranquiliza. 
   — Vinícius? 
   — Yasmin. 
   — Marina? 
Para o espanto de Yasmin, Victor, Isabela, Felipe e Vinícius, Marina responde:
   — Yasmin. 
   — Thiago?
   — Yasmin.
   — Pedro?
   — Jonas. 
   — Jonas, seu voto é em você, né? — Ronaldo pergunta só para confirmar. 
   — Exatamente.
O professor passa a perguntar para a última fileira. 
   — Alexandre?
   — Laís.
   — Danilo?
   — Laís. 
   — Daniela?
   — Laís.
   — Mayara?
   — Laís. 
   — Lorenzo?
   — Yasmin — responde o jovem baixinho e um sorriso carinhoso surge no rosto de Yasmin
   — Luciana?
   — Jonas.
   — E por último, Jaqueline?
   — Jonas também. 
Ronaldo se vira para o quadro.
   — Vamos somar. Laís tem... oito votos, Yasmin... dez. Jonas... sete. — Ele olha para a turma. — Yasmin, você é a líder da sala e Laís, você é a vice. 
Boa parte da turma comemora e Yasmin olha para Jonas e diz:
   — Quem sabe na faculdade, Jonas? 
   — Vai se f*der — rebate o garoto e a loira manda um beijo para ele. 
   — Agora vamos para a votação do professor padrinho. 
Depois de todos votarem, a professora de inglês é escolhida a madrinha da sala. 

Duas horas depois, Mel deixa o shopping com os braços repletos de sacolas das lojas Chanel, Enjoy, John John, Red Valentino e Burberry. Enquanto se encaminha para o carro, o fotógrafo que a seguiu durante todo o passeio se aproxima.
   — Mel! Mel! — chama. — Posso dar uma palavrinha com você? 
A morena abre a porta de trás do carro onde começa a colocar as sacolas, ela olha para o paparazzi e responde:
   — Olá. — Mesmo depois de muitos anos nessa posição, ela não se sente confortável com a câmera focada nela.
   — É verdade que você e o Chay estão se separando? — pergunta o rapaz. Mel finge não ouvir pois não sabe o que responder. — É verdade, Mel? — ele insiste.
Ela termina de guardar as sacolas e bate a porta do carro, arrumando os óculos escuros em seu rosto angelical. 
   — Não quero comentar sobre isso — diz abrindo a porta do motorista. 
   — Então é verdade? — pergunta o paparazzi se aproximando ainda mais do carro. — Vocês estão mesmo em crise?
Mel fecha a porta do carro, dizendo:
   — Não. 
O rapaz bate no vidro, indagando:
   — Então por que vocês não estão mais sendo vistos juntos? Estão falando até que ele vai sair de casa!
Mel liga o carro querendo mais do que tudo sair dali. 
   — Por favor, dá licença — pede abrindo um pouco a janela.
   — Custa responder, Mel?
   — Eu já respondi. Agora dá licença, por favor. 
O rapaz continua apoiado na janela do carro.
   — Por que você acha que as pessoas estão comentando sobre isso, Mel?
   — Não sei. Dá licença — ela pede tentando manter a compostura. 
   — Só mais algumas respostas. 
   — Moço, por favor, estou tentando ser educada com você. 
   — Só estou cumprindo o meu trabalho — rebate o rapaz.
   — Sim, e eu já te respondi. Respeita o meu espaço também!
O paparazzi se afasta centímetros para ajustar a câmera e Mel se aproveita da oportunidade para dar partida no carro. 

Na saída do colégio, Yasmin se aproxima de Lorenzo.
   — Obrigado por ter votado em mim — ela diz.
   — De nada — ele responde olhando para os degraus enquanto desce. 
   — Eu vi um quadrinho do Capitão América esses dias e lembrei de você — comenta a loirinha. 
   — É? Legal!
Eles caminham lado a lado para a saída do colégio. Um grupinho de alunas do segundo ano veem os dois passando e uma delas diz:
   — O que a Yasmin está fazendo com aquele zé-ninguém? 
   — Sei lá — responde a outra. — Enquanto ela está com ele, o Victor deve estar sozinho.
Elas riem.
   — Quem dera eu passar alguns minutos com ele — comenta a terceira. — Imagina ele falando com aquele sotaque no meu ouvido?
Todas suspiram e depois riem. 
   Quando já estão chegando no portão, Yasmin pergunta:
   — Você é assim mesmo ou a minha companhia que é chata?
   — Hã?
   — Tipo, você nem olha para mim enquanto a gente está conversando e só responde com frases curtíssimas. 
Eles param na calçada.
   — Eu que sou assim, Yasmin — ele responde no mesmo tom baixo, porém olha para ela desta vez. 
   — Hum, entendi. Sabia que esse seu jeito meio nerd, meio tímido é fofo?
Lorenzo sorri levemente. 
   — Não.
   — Pois agora está sabendo, e olha que a minha opinião é muito importante nesse colégio. 
   — Obrigada. 
Saindo agora do colégio, Victor pergunta para os colegas:
   — O que a Yasmin tanto tem para conversar com esse moleque?
   — Ela parece gostar dele — responde Isabela.
   — Não vai me dizer que você está com ciúmes? — zoa Marina e eles riem. 
   — Óbvio que não — responde o loiro, porém lança um olhar atento na direção de Yasmin e Lorenzo. — Ele não é páreo para mim.