terça-feira, 22 de abril de 2014

Imagine ChaMel 4ª Temporada (Filhos) - Capítulo 89: Yasmin e Isabela vão ao shopping e têm encontro indesejável



Vinícius ouve o comentário de Victor e segue o olhar dele, vendo as duas garotas conversando enquanto bebem água.
   — A Yasmin que não vai gostar nada, hein!
   — Olhar não tira pedaço e não faz mal a ninguém. 
Vinícius dá de ombro e continua seguindo Felipe e Gustavo. 

Isabela está deitada em seu quarto ouvindo música em seus fones de ouvido. Alguém dá duas batidas na porta, mas ela não escuta e continua concentrada em sua música. A porta se abre e Isabela senta rapidamente.
   — Ai, que susto! — ela diz tirando os fones. Yasmin sorri e caminha até a cama de Isabela. 
   — Eu bati na porta, mas você não atendeu — ela justifica e senta no pé da cama. Isabela olha para a roupa e pergunta:
   — Aonde você vai vestida assim?
   — A pergunta é: Aonde nós vamos? — Ela ri. — A gente vai no shopping fazer compras.
   — Estou sem vontade — diz Isabela voltando a se deitar.
   — Ah não! Nós vamos sim. 
Isabela volta a colocar os fones de ouvido, mas Yasmin os puxa novamente.
   — Qual é, Isa? Vai ficar aí na bad só porque brigou com o meu irmão?
   — Eu não estou na bad, só não quero fazer compras.
   — Credo! Para uma it girl você está bem poser.
Isabela revira os olhos e não diz nada. Yasmin levanta e segura nos braços da amiga.
   — Vem, vai se arrumar!
   — Não quero — choraminga Isabela.
   — Se você não levantar, eu vou te arrastar para fora da cama — ameaça a loira. Isabela bufa e levanta.
   — Você é terrível, Yasmin! — diz caminhando em direção ao seu closet. Yasmin ri e vai atrás dela. Enquanto Isabela busca algumas peças de roupa, Yasmin se observa no espelho:
   — Eu andei pensando em algumas coisas — diz para Isabela.
   — O quê?
   — Eu tô muito calminha.
   — Em que sentido? — pergunta Isabela arrumando o cabelo. 
   — Tipo, faz tempo que eu não apronto nada. Não faço nada de realmente empolgante. 
   — Poderia continuar assim, Yas.
   — Sei lá, eu gosto de sentir adrenalina. Vou conversar com o Victor.
   — Vish, sinto cheiro de treta por aí.
   — E eu sinto cheiro de diversão. — Ela olha para a amiga. — E aí, vamos?
   — Vamos — responde Isabela pegando sua bolsa.
As duas saem e descem as escadas.
   — Convenci ao meu pai a levar e buscar a gente. 
Isabela não responde e continua caminhando ao lado da amiga. As duas entram no carro de Micael e a morena diz:
   — Oi, Mika.
   — E aí, Isa? Como vai?
   — Está bolada por causa do Felipe — Yasmin responde por ela e Isabela lança um olhar cortante na direção dela.
   — Valeu, Yasmin — ironiza.
   — O que aconteceu? — pergunta Micael dando partida no veículo.
   — Nada demais — responde Isabela envergonhada. 
   — Ela foi grossa com o Felipe por causa do Jonas — responde Yasmin. Isabela dá uma cotovelada na altura das costelas da loira sem ao menos disfarçar.
   — Cala a boca, Yasmin — pede em um sussurro alto.
   — Por causa do Jonas? — questiona Micael com curiosidade. 
   — Foi uma coisa idiota da minha parte. Eu fiquei nervosa por causa do Jonas e acabei descontando no Felipe.
   — Ah, entendi. 
Eles saem do condomínio e depois de alguns minutos Micael pergunta:
   — Posso te perguntar uma coisa, Isabela?
   — Pode. 
   — O Jonas ainda mexe com você?
Isabela ergue as sobrancelhas, espantada com a pergunta, e não diz nada. Yasmin devolve a cotovelada, dizendo:
   — Responde.
   — É, é... — gagueja Isabela.
   — Não precisa mais responder — diz Micael dando um sorriso para não deixar o clima mais pesado. Isabela diz nervosa:
   — Não! Você entendeu errado. Quer dizer, o Jonas não mexe mais comigo.
Yasmin, assim como o seu pai, fica sem saber no quê acreditar.
   — De verdade — fala a morena vendo observando os rostos dos dois. — Eu estou muito feliz com o Felipe.
   — Disso eu não tenho dúvidas — rebate Micael. — Vocês fazem muito bem um para o outro. 
Isabela dá um leve sorriso, querendo ter Felipe ao seu lado para acalmá-la. Nesse instante, ela se recorda de que eles estão brigados e fica cabisbaixa. 

Felipe e Victor caminham até um freezer para pegarem garrafas d'água enquanto Vinícius continua fazendo exercícios para fortalecer as pernas. 
   — Eu não posso fazer essa série por causa do meu tornozelo que ainda não está 100% ainda, mas você não faz por quê? — questiona Felipe abrindo uma garrafa.
   — Porque eu preciso de descanso — responde Victor rindo. — Mas esse lance do seu tornozelo me fez lembrar de uma coisa.
   — Que coisa?
   — O que aconteceu com o cara que te atropelou?
   — Distribuiu algumas cestas básicas e ficou de boa.
   — Credo! Que merda, hein?
   — Pois é.
Eles olham para Vinícius, que está ao longe, e depois desviam o olhar. Felipe começa a analisar as pessoas que malham e enxerga as duas jovens, que pedalam uma ao lado da outra.
   — Olha aquelas duas ali — ele diz cutucando Victor. O loiro segue a direção do olhar dele.
   — Ah, eu já tinha as visto, na hora que eu cheguei.
   — Você é rápido, hein? — gargalha Felipe. Uma delas, enquanto ri, olha de relance na direção deles. Ela volta a olhar para eles, mas logo muda o seu foco. 
   — Ela olhou pra gente, não olhou? — pergunta Victor.
   — Sem dúvida alguma — responde Felipe. 
   — Me imagina na garupa da bicicleta dela — fala Victor rindo.
   — Uma bicicleta ergométrica não tem garupa — ri Felipe.
   — Mas as minhas mãos iam se encaixar perfeitamente na cintura da morena. 
Felipe olha fixamente para a morena.
   — Realmente, ela é bem gostosa. Usando legging então.
Eles ficam observando as garotas em silêncio. Em um determinado momento, Victor comenta:
   — Acho que não é bom a gente ficar desse jeito. Tipo, nós temos namoradas.
   — Eu briguei com a Isabela — Felipe dá de ombros.
   — Mas eu tô de boa com a Yas. — Ele pensa por um momento. — Vou voltar a malhar que é o melhor que eu faço! E você deveria parar de ficar babando nas garotas, porque a Isabela não merece isso.
   — Eu também não merecia a patada que ela me deu.
   — Vocês não conversaram ainda, né?
   — Não — responde Felipe.
   — Mesmo assim, você gosta dela, né?
   — Eu amo aquela pequena.
   — Oh, que meigo — zoa Victor.
   — Para, idiota!
   — Mas falando sério, eu não gostaria que a Yasmin ficasse babando em meninos. 
   — Pensando por essa lado...
Os dois começam a caminhar lentamente de volta ao lugar em que Gustavo e Vinícius estão.
   — Viu? Eu penso, cara, não sou só um rostinho bonito.
   — Até porque você não tem um rostinho bonito. 
   — Não é o que a Yasmin acha.
   — A Yasmin é uma retardada.
   — Claro, né? É sua irmã.
   — Vai se f*der.
Eles riem. 

Quase uma hora depois, Isabela e Yasmin sentam em uma mesa da praça de alimentação com várias sacolas de compras.
   — Estou doida pra experimentar essa base da MAC que eu comprei — comenta Yasmin.
   — Ai, eu nem compro mais outras marcas. Depois que eu usei aquela da Chanel, não troquei nunca mais. Tipo, as vezes eu uso outras, mas no dia-a-dia é só ela. 
Yasmin sorri e pega o seu celular para checar suas notificações.
   — Hoje os meninos começam a academia, sabia? — pergunta após ler uma mensagem de Victor.
   — É, o Felipe comentou comigo ontem. 
   — Você já foi na academia lá do condomínio?
   — Não.
   — Então não sabe as piriguetes que tem por lá.
   — São tipo você?
   — Ei, eu não sou piriguete! — Elas riem e Yasmin prossegue: — Têm umas meninas que vão com uma legging mais justa do que sei lá o quê. Sério!
   — E eu com isso?
   — Os meninos devem ter ficado loucos.
Isabela dá de ombros.
   — Eu não me importo.
   — Conta outra, Isa.
   — Sério. — Yasmin continua olhando para ela, até que ela diz: — Ok, eu fico um pouco incomodada, mas não posso fazer nada.
   — Eu acho que o meu irmão é de boa, agora o Victor... Cara, ele é muito idiota. Não pode ver um rabo de saia que já fica todo animadinho.
   — Você não se importa?
   — Ah, eu confio no meu taco — gargalha a loira. Isabela também ri e olha para as pessoas ao redor.
   — Ah não! — ela exclama.
   — O que foi? — pergunta Yasmin no exato momento em que Samuel para ao lado da mesa delas com Jonas como companheiro. 

sábado, 19 de abril de 2014

Imagine ChaMel 4ª Temporada (Filhos) - Capítulo 88: Yasmin e Victor se reconciliam



Durante a aula de química após o intervalo, a sala permaneceu em silêncio total, principalmente os filhos dos ex-integrantes dos Rebeldes, que não disseram uma única palavra. Depois da aula de química, a professora de português entra na sala. Enquanto ela passa no lousa alguns tópicos, Isabela respira fundo e vira para trás. Felipe ergue lentamente o olhar, encarando-a.
   — Me desculpa — ela pede em um sussurro. Felipe continua olhando para ela sem dizer nada. — Me desculpa?
   — Aqui não é o lugar certo pra gente conversar.
Isabela morde um lábio, sentindo o peso das palavras de Felipe. Depois de alguns instantes, ela diz:
   — Eu sei que eu errei com você, é que...
   — Eu já disse que aqui não é o melhor lugar pra gente conversar. — Felipe abaixa o som da voz, o que causa um calafrio em Isabela. Ela assente com a cabeça e vira para a frente, falando:
   — Ok. 
A últimas aulas passam bem rápidas e eles são liberados. Malu caminha até a carteira de Mayara.
   — O que achou do primeiro dia?
   — Acho que vou me dar bem aqui — responde Mayara fechando a mochila.
   — Mais tarde eu tô pensando...
   — Eu topo — interrompe a loira e elas riem.
   — Você nem sabe o que eu ia propor.
   — Mas só de ser com você já sei que vou gostar. 
Malu fica olhando para Mayara sem dizer nada. Em seguida dá um sorriso e diz:
   — Ok. Então mais tarde a gente se encontra pra andar de skate lá na praça do meu condomínio. 
   — Me manda o endereço por whats, ok?
   — Pode deixar. Vamos?
Mayara sorri para Malu e elas saem da sala. Graziele está ao lado de sua mesa fechando sua mochila. Dois braços firmes envolvem sua cintura e ela sorri.
   — Thiago.
   — Era pra você se assustar — ele fala no ouvido dela, fazendo a ruiva se arrepiar. 
   — Você só me causa boas sensações — diz Graziele se virando para ele. Thiago dá um selinho nela e Alexandre e Samuel riem no fundo da sala.
   — Tá pegando, hein! — diz Samuel. Thiago coloca uma alça da mochila em um ombro e pega na mão de Graziele.
   — Vão se f*der — fala para os dois que continuam rindo. Ele e Graziele trocam um sorriso e saem. Felipe coloca sua mochila nas costas e sai da sala, deixando Isabela e seus amigos para trás. A jovem vê ele saindo e suspira.
   — O príncipe largou a princesa? — pergunta Jonas se aproximando. Isabela, que já está esgotada por causa do desentendimento com Felipe, ergue a cabeça lentamente. — Precisando de companhia, estou aqui — ele completa.
   — Nem se você fosse o último cara do mundo — ela diz com rispidez, coloca a mochila no ombro e sai. Vinícius observa a cena e olha para Marina pra comentar algo com ela, mas prefere continuar guardando o seu material. Marina se aproxima mais dele e pergunta:
   — Você vai continuar estranho comigo?
   — Eu não tô estranho com você — responde Vinícius sem olhar no rosto dela.
   — Vinícius — suspira Marina. — Se for pelo o que eu disse na hora do intervalo, eu já falei que foi sem pensar. 
   — Marina, eu só preciso de um tempo pra mim. Me dá espaço, por favor — ele diz colocando a mochila no ombro. — Até mais tarde.
Vinícius coloca uma mão na cintura dela, dá um selinho em sua boca e sai da sala. Yasmin passa pela carteira de Victor sem falar nada e caminha em direção a porta da sala. Ele olha para ela se afastando, mas não diz nada e fecha sua mochila. Yasmin sai da sala e Victor caminha até a irmã.
   — Vamos?
   — Vamos.
Os dois vão para a porta da sala.
   — Você brigou com a Yasmin? — ela pergunta andando pelo corredor entre os demais alunos.
   — Ela tá de c* doce.
   — O Vinícius também. Quer dizer, ele tem um pouco de razão, mas tá exagerando.
Eles descem as escadas em silêncio e passam pelo pátio principal a caminho do portão. Do lado de fora vários pais e motoristas buscam os alunos em carros luxuosos, causando um alvoroço na porta do colégio. Isabela e Yasmin estão comprando pipoca enquanto Vinícius e Felipe conversando encostados no muro. 
   — A gente vai lá conversar com eles ou ficamos aqui na nossa? — pergunta Marina.
   — Eu vou lá só para provocar a Yasmin. Vem!
Victor segura no pulso de Marina e eles se aproximam de Felipe e Vinícius. Ele começa a conversar com os dois e depois de pouco tempo Isabela e Yasmin voltam com sacos de pipoca nas mãos. A loira fica do lado do irmão, se afastando de Victor. Isabela não entende a distância dela e de Victor e olha para Felipe. O jovem, que estava olhando para ela, desvia o olhar rapidamente e encara o chão. Isabela dá um leve sorriso e começa a comer sua pipoca. Victor se aproxima de Yasmin e pega o saco de pipoca das mãos dela.
   — Devolve, por favor — ela pede com grosseria. Os outros quatro olham para os dois.
   — Eu também quero — diz Victor pegando um pouco de pipoca e colocando na boca.
   — Compra! — Yasmin puxa o saco das mãos dele e olha para os amigos. Os quatro desviam o olhar; Isabela olha para o próprio saco de pipoca, Vinícius finge procurar o carro dos pais, Felipe mexe no celular e Marina inicia a busca por alguma pelinha em suas unhas. Victor segura uma risada, achando fofa a atitude de Yasmin. Ele tenta colocar pipoca na boca dela, mas a loira vira o rosto para o outro lado. Os demais voltam a observar disfarçadamente. 
   — Sai, Victor! — pede Yasmin empurrando a mão dele de seu rosto. Victor come a pipoca de suas mãos e envolve a cintura de Yasmin com os seus braços.
   — Para de frescura, amor — ele diz no ouvido dela. Yasmin vira o rosto, ficando com o nariz a poucos centímetros do dele e diz baixinho:
   — Você acha que eu sou idiota? Fica de gracinha com aquelas duas e depois vem me abraçar.
   — Eu tava te provocando, Yas.
   — Justo com elas? Que já deram em cima de você e do Felipe?
Isabela olha para Felipe, que retribui o olhar. Ela volta a encarar o seu saco de pipoca e ele coloca os seus óculos escuros.
   — Qual é o problema? Você também ficou de papo com o nerd lá.
Yasmin ri.
   — Larga de seu idiota! O garoto não tem nada a ver.
   — Você vai voltar a falar comigo? — pergunta Victor carinhosamente.
   — Não sei — Yasmin se faz de durona.
   — Por favor, Yas — ele pede roçando os lábios nos dela. Yasmin dá um selinho nele.
   — Seu bobo!
Victor sorri e beija ela.
   — Você sabe o que eu sinto por você.
   — Precisa ficar me provocando?
   — É só pra dar mais emoção no namoro.
Yasmin ri.
   — Vou lembrar dessas palavras.
   — Epa!
Yasmin ri novamente e recebe beijos no ombro do namorado. Felipe dá dois passos em direção de Isabela e ela olha para o rosto dele, não conseguindo enxergar os seus olhos por causa dos óculos. Mesmo assim abre um leve sorriso, acreditando que ele vai aceitar as suas desculpas.
   — Mais tarde a gente se fala — diz Felipe dando um beijo na testa dela. Ele olha para Yasmin e diz: — Vamos, o pai chegou!
O sorriso de Isabela desaparece e Felipe olha para ela sem virar a cabeça para que ela não saiba que ele está olhando para ela. Yasmin dá um selinho em Victor.
   — Tchau!
   — Tchau — responde o loiro. 
Felipe e Yasmin se despedem dos outros e vão em direção ao carro dos pais. Marina, Vinícius, Isabela e Victor permanecem na calçada e ficam em silêncio. 
   — Então — fala Victor —, por que vocês dois não estão se falando?
Isabela ergue as sobrancelhas, surpresa com a pergunta direta dele, em seguida olha para Marina e Vinícius.
   — O quê? — questiona Marina de queixo caído.
   — Você falou que ele tava de c* doce...
   — Você falou isso? — pergunta Vinícius a Marina.
   — Mas ela disse que você tinha um pouco de razão — Victor responde pela irmã. Isabela continua olhando de um para o outro. Vinícius cruza os braços e não diz nada. 
   — Você só abre a boca pra falar merda, Victor — reclama Marina. Eles ouvem uma buzina bem perto deles e olham na direção de um carro.
   — Nosso pai — diz Victor. — Tchau, gente!
   — Tchau — responde Isabela amaçando o saquinho de papel onde estava a pipoca. Victor caminha em direção ao carro de Arthur. Marina olha para Vinícius e pega no braço dele, dizendo:
   — Mais tarde eu passo lá na sua casa, tá?
   — Ok — responde Vinícius olhando de relance para ela. Marina segue o irmão e entra no carro de seu pai. Isabela olha para o irmão.
   — Por que vocês brigaram?
   — Porque ela falou que ela e o Brian formavam o casal perfeito.
   — Nossa. Sério?
   — Tipo, eu entendi o contexto que ela quis dizer, mas mesmo assim não gostei. Você e o Felipe estão brigados também, né?
Isabela começa a explicar tudo. No final, Vinícius pergunta:
   — Você ficou brava com ele?
   — Eu tava nervosa.
   — Mas descontava essa raiva no Jonas e não no Felipe, né?
Isabela coça a testa.
   — Eu sei, mas eu não pensei nisso na hora. Agora o Felipe mal tá falando comigo.
   — Bem feito — sorri Vinícius.
   — Idiota.
O carro de Chay estaciona na frente deles e os dois caminham em direção ao veículo. Isabela entra no banco do passageiro e Vinícius atrás.
   — Demorou, hein pai? — ela reclama batendo a porta.
   — Tava arrumando a minha mala — responde Chay dando partida.
   — Mala? — repete Vinícius atrás.
   — Essa semana eu viajo pra São Paulo para o primeiro show do ano, né?
   — Ah é, esqueci. A gente vai junto? 
   — Não, vocês têm escola.
   — E a mãe? — pergunta Isabela.
   — Acho que nesse ela vai.
   — Ela não vai te acompanhar na turnê?
   — Não, têm os eventos da grife.
   — Verdade. 

As horas passam. As seis horas da tarde Victor, Vinícius e Felipe se encontram em uma esquina do condomínio.
   — Preparados para o primeiro dia na academia? — pergunta Felipe.
   — Mais do que preparado — responde Victor.
   — Eu quero descontar toda a minha raiva na academia hoje — fala Vinícius.
   — Vamos? — diz Felipe.
   — Só se for agora.
Os três caminham até uma quadra do condomínio em que não há mansão alguma. 
   — Uau — exclama Victor surpreso com o tamanho da academia. — Não esperava que fosse tão grande.
   — Tem um monte de coisas aqui. Judô, yoga, dança, todas essas bagaças. 
Eles entram e um rapaz caminha até eles.
   — Felipe, quanto tempo.
   — Pois é. Hoje estou voltando.
   — Você também, né Vinícius?
   — Verdade. 
O rapaz de uns 24 anos olha para Victor.
   — Quem é ele?
   — Meu nome é Victor.
   — Prazer, Victor. Eu sou o Gustavo, vou ser o personal de vocês.
   — Por onde a gente começa? — pergunta Felipe empolgado.
   — Vamos entrar, né!
Gustavo começa a caminhar em direção a uma grande porta de vidro. Os três observam vários aparelhos e pessoas malhando.
   — Todas essas pessoas moram aqui no condomínio? — pergunta Victor baixinho para Vinícius.
   — Aham.
Victor ergue as sobrancelhas, surpreso, e continua olhando em volta. Seus olhos passam por várias mulheres e se fixa em uma especial. Ela não se parece com a maioria das outras, é mais nova, aparenta ter a idade dele. A garota se aproxima de uma outra e Victor sorri, dizendo:
   — Pelo jeito eu vou adorar malhar aqui.